fevereiro 05, 2015

Geada e Lume



Quase esquecia
dizer

a manhã
em tacto pano da voz
a geada, a pele macia do tempo
o lume por acender,

o corpo desarrumado
na corrente do ar
o pássaro que se adianta
ao peito em urgência.

Queria dizer,
dizia

aos que dormem por debaixo das nuvens
que não,
este vento não adormece como sopro no coração
ou tinta escrita.

Queria dizer,
escrevia.

Fevereiro 2015, 04

.

6 comentários:

Maria Eu disse...

Belo!

Solange Duarte disse...

escreva, viva, aninhe-se..

bjs.Sol

Graça Pires disse...

Queria dizer, apenas, que este é um belo poema.
Abraço.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Que saudades tinha de te ler Leonardo.
Belo, como sempre.


abraço
cvb

CÉU disse...

Não esqueceu nada no seu sensitivo poema. Queria dizer, mas escreveu, e o fez, de forma distinta.
Parabéns, poeta!

Marcelino disse...

O homem quer dizer: o poeta escreve!