julho 26, 2010

Murmúrio Luz

.















Curiosa a escrita do Sol
Onda de fogo, sombra de estrelas
Murmúrio enquanto luz
Esta a presença inscrita entre Deus e os homens.

Límpido o rumor aéreo
Enquanto luz que brilha na essência intacta
Dos tempos, dos seus princípios serena a solidez
Da pedra que permanece no ventre terreno.
Feliz o ar que morre na raiz,
Calmo o calor que a alimenta.
Dizem ser este o plano do meu Deus
Que não está ferido nem cansado.


Ricardo S.
s/d [1995?]
[composição para A Criança Inacabada]

[imagem: reprodução de Untitled (sparrow), Gerard Prent]
.

18 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Esta poesia me passou uma sensação de plenitude.


BeijooO*

lucidreira disse...

Começando uma semana com serenidade, como se flutuar.
Abraço

Lídia Borges disse...

Há um rumor quente na luz, uma sombra sem sombra de melancolia que sossega e vivifica.

Deixo um beijo.



L.B.

Insana disse...

Linda a sua forma de começar a semana, muito obrigada por compartilhar isto.

bjs
Insana

Lara Amaral disse...

Ricardo S. lê minha alma.

Beijo.

Pluma Roja disse...

Me gustó mucho tu blog, naturalmente tu poesía. Vendré a leerte por ahora te sigo.

Saludos,

manuel marques disse...

A criança inacabada,está a tornar-se naquilo que é: uma criança feita de luz .

Abraço.

Silvano Lago disse...

Amigo Blogueiro acompanhe as novidades do Marketing Político e Eleitoral do Brasil e do Maranhão sob a ótica da propaganda regional.
Confira e não deixe de dá sua opinião.
www.silvanolago.blogspot.com

angela disse...

Aonde Deus está, reina a calma e sua palavra é luz e calor.
Um poema que transmite calma.
beijos

Sonhadora disse...

"Murmúrio enquanto luz"

delirante essa expressão e a poesia toda.

« Katyuscia Carvalho » disse...

Lendo estes versos, vejo uma pepita de fogo no centro da terra, ouço o "S." de Ricardo, e penso:
"Da pedra que permanece no ventre terreno",
sabe-se somente que vive grávida do Sol.

Um beijo.
.
.
.
Katyuscia

Zélia Guardiano disse...

Maravilha, Leonardo, maravilha!
Versos encantadores com ilustração de derreter o coração, por mais empedernido que seja...
Enorme abraço, querido!

PS-Fiquei felicíssima com sua visita!
Obrigada!

Mar Arável disse...

Sombra de estrelas

Luminosa esta sua sombra

Abraço

betina moraes disse...

barqueiro,

percebi em ricardo um lirismo bastante emocionado, quase irônico quanto a posição do fado. gostei muitíssimo e me surpreendi por quase poder ver outro poeta!


o verso é belo e as imagens que aqui estão, sublimes, como por exemplo a constatação de que deus não está ferido nem cansado! genial.


emocionou-me principalmente por ser ele um tanto de você.

obrigada por trazê-lo até nós.

um beijo.

Tania regina Contreiras disse...

...e esse Deus que não está ferido e nem cansado...e que se expressa plenamente: muito belo, Leonardo!!!
Abraços,
Tânia

continuando assim... disse...

frágil ..... serena solidez

gostei
beijo

Jorge Manuel Mendes dos Santos disse...

Curiosas estas escritas trazidas dos sois
em arcos/linhas de cores traduzidas
ou manifestando-se em conchas e fatus-fogos
de tantas e tantas telas e alvoradas
e fins de terras/praias por onde se esvai
em laivos de luz,em estrias...
curiosas estas escritas e estes dias
inscritos nas montanhas em pedra
calcinada...
curiosas estas vidas sob sois vividas
sem partida nem chegada e sem um ai
arrancado no calor das estradas

Jorge santos
http://namastibetpoems.blogspot.com

Marcelino disse...

"Curiosa a escrita do Sol", silenciosa a escrita dos homens. Não há que se esquecer nessa relação de fenômenos o poder do Verbo, pois que ele também é, por seu turno, um traço de Deus. Belo texto, Leonardo.