março 23, 2010

Simples Comunicado


















Grande ou pequena,
Dou a possível recompensa,
Dois euros e um tostão
Ou talvez um pouco mais,
A quem encontre e devolva
Nem que seja danificado,
O meu sorriso.
- Pode parecer absurdo,
Mas é o único que tinha
Por companhia,
E estava bem domesticado.

Polido e acanhado,
Bem amestrado para o mundo,
Sorridente, tanto às virtudes
Como aos sete pecados.
Triste, o mais das vezes
Por não ser tido nem achado,
Nas coisas que se levam a peito,
É esse o meu, se o virem!
Delicado como uma variz
Espetada no ouvido,
Abjurado aprendiz, e vidente
Falsificado, da falsa história
Em fogo artificial.
Fátuo sorriso imprudente,
Podia ser sorriso de toda a gente,
Não lhe desse para a incúria
De se iluminar com ares
De Aletófilo de trazer por casa.
Evidente, pior a cura
Que a doença!
- Pode parecer obscura ciência,
Mas paciência… o estupor
Tinha o maior defeito,
Ou seja, era sincero no afecto,
Quase tornando-se meu anjo dilecto,
De tão insensato!

É um facto e
Pode não ser grande o apelo,
Aliás acho até irrelevante,
Para tantas dores de parto
No cais de desembarque do mundo;
Mas sem o meu sorriso,
Não há partidas, nem chegadas
Nem ciências desastradas!
Talvez uma ou outra
Economia mais fechada
Em forma de dentadura
- Pode nem parecer grande coisa,
Foi ali comprar o tabaquinho
E já volta, ou mesmo
Que se tenha cansado e partido,
Para além do muito longe.
Não é estranho, nem invulgar,
Mas causa grande transtorno
Procurar um sorriso,
Na coluna dos desaparecidos.

Se ajudar nas buscas, sei
De nula importância histórica,
Mas com o meu sorriso estava,
Como direi?... Completo!
Tínhamos até assinado um tratado,
Uma espécie de contrato,
Sem efeito, nem defeito especial,
[Era só um pró-forma, é natural!]
Vulgar tratado de paz,
Coisa de arruaceiros, traçando
Uma linha de fronteira,
Lavrada sentença por trivial mão,
Como se fora a dum irmão de puridade!
Mas agora que se foi,
Maldito sorriso ingrato,
Em acto desesperado, eu apelo,
Já sem grande convicção,
Em simples comunicado,
Duas linhas ou um recado
- Haja alguém que tenha visto, por aí
Um sorriso com aspecto abandonado,
Vestido como um sinistro clandestino,
Mas frágil por mal tratado,
Ignorado e distante, maltrapilho
Arco quebrante,
E darei a possível recompensa:
Uma fortuna em cheque careca,
Um pouco do mar e um chá da Pérsia,
E o mais que é mais sem que se dê conta,
Um pedaço da minha refeição,
E os meus dois barcos incondicionais,
Guiados por minha mão própria
Até aos confins da minha rua.

É coisa pouca?
É o que tenho guardado,
Com afinco
Para uma qualquer contrariedade.

Bizarril, 23 de Março

|imagem: reprodução de Yellow and Gold, Mark Rothko|

39 comentários:

Lara Amaral disse...

Bem que eu queria ter visto =/

Abraço.

Erica Ferro disse...

Infelizmente, não vi.

Contratos, descobri há tempos, são quebráveis e não garantem nada. :S

Marcelo Novaes disse...

Leonardo,



Pior a cura que a doença. E a recompensa é boa!




Abração.

J. disse...

Torco pela volta do sorriso, mas outro: escancarado, indomado, lindo!

Beijos.

(p.s. desculpe a falta de acentos, meu teclado esta desconfigurado... coisas das novas tecnologias... rs)

manuel marques disse...

Uma boa acção é aquela que faz aparecer um sorriso no rosto do outro .

Abraço.

Anónimo disse...

Os ladrões de sorrisos, andam por aí, em todo o lado... Pior que roubarem uma carteira, "surropiam" a alma, o sorriso, o atino com as coisas do mundo!
E não é só aos outros que acontece.

J.C.

Lou a esquizoffrenica disse...

absolutamente maravilhoso, sabes' adorei. Espero que o encontres, esse teu sorriso perdido.

betina moraes disse...

barqueiro,

grande procura, excelente recompensa!

um verso muito bonito.

um beijo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Eu encontrei o teu sorriso! Foi quando li o teu poema, ele se estampou em meu rosto ao me deparar com tuas letras.

Desconfio que todos os que te leram o encontraram em suas próprias fisionomias.


Navegar por aqui é preciso.
beijo no coração

Deia disse...

Empresto-lhe o meu, que arteiro e zombeteiro, pulou nos meus lábios a medida que ia lendo seu suplício. Um abraço carinhoso, Deia

cirandeira disse...

Encontrei o teu sorriso, sim! Ele estava alí, bem naquela esquina: a da poesia, e eu estou sorrindo até agora...!

Obrigada pelo link
Grande abraço

orvalho do ceu disse...

Olá!
O sorriso é a chave para a entrada em nosso coração feliz... se achar o seu por aqui, vou correndo postar para vc lhe dizendo: -"achei o que vc procurava e não o perca mais de vista, deve estar sentindo muito sua falta, viu? Ele, com ceteza, não consiguirá viver sem seu rosto para se encaixar no mundo de novo... Precisa muito de vc"...
Boa sorte!
Deus lhe abençoe e lhe faça muito feliz... e sempre sorrindo...
Abraços sorridentes

Ianê Mello disse...

Quem sabe àquele sorriso já estivesse gasto.
Substitua por outro amplo, aberto, sem disfarces.


Com meu sorriso e carinho.

dade amorim disse...

Se atravessou o oceano e chegou a esse litoral, vou encontrá-lo e nem quero a recompensa. Segue pelo ar, no primeiro avião da TAP. Enquanto isso, que continuem os poemas.

Abraço solidário.

Mari entre linhas disse...

Há muitos sorrisos perdidos. O seu pode ter se confundido nas ruas, acompanhado outros, ou de tão bonito, quem sabe roubado?
Às vezes, eles saem para passear e nos deixam preocupados.
Olha! Está vendo? Eu não disse? O seu sorriso é um tanto traquinas. Lá vem ele caminhando lentamente até nós. :)
Beijos.

Sonhadora disse...

Lindo poema.
No que perdemos...muitas vezes nos encontramos.

sonhadora

alfa disse...

Olá "Barca dos Amantes", passei por aqui e gostei bastante do seu blog, vou voltar.

bjs

Maria Bonfá disse...

adorei... muito criativo.. tomara que vc ja o tenha encontrado.. não perca mais seu sorriso.. ele é seu encanto..beijão

José Carlos Brandão disse...

A vida nos rouba o sorriso a cada esquina, mas para devolvê-lo a cada passo. A poesia sorri nos teus dedos, poeta.
Abraços.

Ju Fuzetto disse...

Bom dia amigo!!

Deixe que seu sorriso te encontre!

Ele estará em seus lábios, contornando sua vida, desenhando a felicidade!!!


Um beijooo

Georgina Mambrino (pseudónimo) disse...

Está bem giro o autoretrato!! O Inverno enferruja o sorriso. A Primavera irá desocultá-lo.
Um abraço!!

Mari disse...

Oi Leonardo,
Se eu tivesse encontrado seu sorriso, devolveria um meu junto com ele!
Um beijo e carinho
Mari

Ana Lucia Franco disse...

"um pouco do mar e um chá da Pérsia" a recompensa é belíssima, a procura é legítima e o encontro pode ser questão de tempo.

bjs.

elisa...lichazul disse...

leonardo

muchas gracias por esas hermosas huellas
sé siempre Bienvenido

tu poema aunque logro visualizarlo general , (no hablo portugués)es muy tierno, un aviso para quien esté atento y presto a ayudar en la búsqueda
Felicitaciones!!
su construcción es ingeniosa y muy ritmica

Carolina Caetano disse...

Que bom poder ter te conhecido. Já serei dos seguidores do seu blog e faço link dele no meu.
Que deliciosa cadência. Que respiração a deste poema!
Obrigada e beijos honrados!
Carolina Caetano.

Lídia Borges disse...

Um sorriso perdido é mesmo um grande transtorno.
A recompensa não compensa, não é grande paga,
mas devolver um sorriso
é coisa que não custa nada.


De realçar a musicalidade e o ritmo.


L.B.

maré disse...

não basta trazer de volta o sorriso.
precisa de habitação. da boca da emoção.
precisa de alma alforreada e de um sangue sem castigo.

*
e de facto estou a sorrir Leonardo.
uma janela aberta para o outro dia em que as paredes estejam penumbricas. e um abraço

Grupo Cero VersoB disse...

navegar é preciso,
mesmo que o sorriso
se encontre
depois

só depois
do poema
da letra
da aventura
à letra

Lindo blog,
parabéns,

um abraço,
na poesia,

Sylvia Araujo disse...

Que maravilha! Dancei às custas do seu sorriso com o meu aqui a reluzir. Delícia de ritmo, Leonardo!

Um cheiro

© Piedade Araújo Sol disse...

pois...

eu costumo dizer que um sorriso, vale mais que todas as palavras possiveis do mundo.

muito bom!

um abraço

Bruna A. disse...

Adorei. Não o encontrei, mas posso te dar um.

Muito bom.

Isa Mestre disse...

Adorei. Muitos parabéns e um sorriso do tamanho do mundo que nos possa abraçar a todos...Beijinho

Isa Mestre

continuando assim... disse...

lindo!

há pouco passei por um...era tristonho e amarelo, não seria o teu certamente ,

Terás deixado no rio?

bj
teresa

Sônia Brandão disse...

Não vale a pena procurar o sorriso perdido. Existem outros louquinhos para brincar em nosso rosto.

abs

Carla Lopes disse...

Não creio que o tenha perdido de verdade, ele apenas se escondeu nas linhas do tempo ou entre os cabelos, talvez no bolso de um casaco usado na última vez em que foi visto. Procure com afinco, há de encontrá-lo!
Enquanto isso...sua criatividade vai suprir a falta.
Beijo grande.

Cris de Souza disse...

Deu saudade do teu lirismo único...

Ludovica Muluc disse...

Se teu sorriso estiveres por aqui, levarei comigo para onde for.
E até esconderei o tal para que sua poesia do desencontro continue flamejante em busca do perdido.
Lindos seus textos.
Beijos*luz!

susannah disse...

Muito lindo! Um misto de humor e tristeza sem lágrimas; um perfil desta nossa humanidade.

Gisela Rosa disse...

Adorei Leonardo! esboço um sorriso que o alcance...

beijo